‘Não há vaidade, há um projeto de cidade’, diz Bastianelli sobre gestão de Caio Cunha

“O município está evoluindo”, garante o secretário de Desenvolvimento de Mogi

Por Lailson Nascimento / Foto: Divulgação

“Fazer de todos os nossos trabalhos, todas as nossas ações, algo conectado. A cidade está à disposição.” Com essas palavras é que o secretário municipal de Desenvolvimento da Prefeitura de Mogi das Cruzes, Gabriel Bastianelli, resume o foco de sua atuação na equipe do prefeito Caio Cunha (PODE). Ao ressaltar a união da equipe governamental, ele garante que a cidade vai evoluir nos próximos quatro anos.

Confira os principais trechos da entrevista:

Gazeta Regional (GR): Após a experiência no setor privado, como é estar do outro lado do balcão, dessa vez como Secretário de Desenvolvimento Econômico?

Gabriel Bastianelli: Quando se tem um olhar externo, de qualquer contexto, você consegue enxergar as oportunidades. Quando você integra esse espaço, você passa a compreender como aquelas oportunidades podem ser executadas. E eu posso dizer, com toda tranquilidade, que sim, é possível fazer.

GR: E o que se pode destacar desse início de trabalho?

Bastianelli: Aqui a gente se relaciona com vários indicadores macroeconômicos, tais como o PIB, o nível de concentração de empresas, divisão de empresas por segmento, geração de renda e emprego na cidade, entre outros. Diante disso, consolidamos toda a base de indicadores que nós geramos na cidade para monitorar, em tempo real, como está esse processo de informações. Com isso a gente vai definindo o futuro da cidade, de maneira assertiva, por meio de um diagnóstico de todas as oportunidades que temos no município. É um direcionador estratégico para entendermos a vocação da cidade.

GR: E qual é essa vocação?

Bastianelli: Mogi é uma cidade que tem 60% de área preservada, e isso é um quantitativo alto. Em paralelo, temos uma cidade geograficamente muito bem estabelecida. Então, todo esse arranjo nos direciona para uma série de oportunidades. Nós somos a 26ª cidade no Brasil no ranking de cidades empreendedoras. A nossa vocação está em serviços, principalmente aqueles de alto poder de consumo e geração de empregos.

GR: Como transformar a vocação em prática?

Bastianelli: A gente tem uma diretriz muito clara, do prefeito Caio Cunha (PODE), para uma reforma administrativa. E aí nós vamos reorganizar a Secretaria com três frentes. Uma delas já está estabelecida e permanece, que é a Diretoria de Indústria e Comércio. Também vamos criar a Diretoria de Competitividade e Inovação. Dentre os projetos, a ressignificação do Emprega Mogi, além de polos digitais descentralizados. A terceira é ter uma Diretoria de desburocratização e atendimento ao empresário. Avhora que o empresário coloca o pé na prefeitura, ele tem de ser recebido com tapete vermelho.

GR: Qual legado você espera deixar para a cidade?

Bastianelli: A gente tem um planejamento estratégico, com direcionadores muito claros, e o legado que a gente quer deixar é que Mogi seja reconhecida como uma cidade que cresceu e que se desenvolveu. A Secretaria visa o desenvolvimento econômico e social da cidade. Se o pai de família tiver um emprego, se ele tiver dignidade para criar os seus filhos, se nós conseguirmos educar as crianças dentro de uma perspectiva educacional que forme um bom cidadão, e que ele tenha, na cidade, a infraestrutura necessária para o seu crescimento e desenvolvimento, nós estaremos deixando um excelente legado.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*