O circo armado

É lamentável ter de admitir que em pleno século 21 ainda vivenciamos a política do pão e circo. E esta semana o circo chegou à região do Alto Tietê, com a passagem da Tocha Olímpica pelas cidades de Mogi das Cruzes e Suzano. Não que a Tocha não seja um importante símbolo do esporte mundial, mas pelo fato de o País e, consequentemente, todas as regiões do Brasil, estarem vivendo o pior momento econômico da sua história.

Um país cuja a presidente da República, escolhida e aclamada por voto popular, está afastada do cargo por irregularidades cometidas durante seu governo – que já está no segundo mandato. Um País envolto em inúmeras denúncias de corrupção pelo alto escalão do governo – ministros, deputados federais, senadores e empresários. Um País onde a violência alcança níveis assustadores, com as pessoas vivendo escondidas e presas em suas próprias casas e os ladrões circulam livremente pelas ruas e prédios públicos – diga-se Câmaras, Prefeituras, Palácios, Distrito Federal, Petrobras e outros tantos.

Uma vergonha! Assistir a tudo isso é como fazer parte de um elenco de filme de terror. É como estar cercado por inúmeros soldados do Estado Islâmico sem nunca ter cruzado com um. É como estar convivendo com a guerra entre palestinos e israelenses sem nunca ter pisado nesses países. É como viver sob a ameaça do terrorismo. Medo, temor, pânico, ameaça.

O povo clamando por emprego, segurança, saúde, educação e os governos federal, estadual e municipal gastando milhões com uma Tocha e com uma Olimpíada que está fadada ao fracasso, tendo em vista os escândalos com a falta de estrutura dos prédios das Vilas Olímpicas e com a ineficiência dos aeroportos e estradas da Cidade Maravilhosa (só no nome), que, antes mesmo do evento, já se encontram congestionados.

E o povo sai às ruas para ver a Tocha e compram convites para assistir ao maior espetáculo que o País já viu. Mas pedimos a Deus que não aconteça uma tragédia, porque os hospitais do Rio de Janeiro não têm a mínima condição de atender aos pacientes do dia a dia, que dirá a uma multidão que vai se aglomerar e se instalar na cidade. Em São Paulo não é diferente. A Santa Casa suspendeu as cirurgias por falta de luvas e outros componentes. Vergonha brasileira. O circo está armado!

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*