O meio mais rápido e fácil de chegar ao eleitor

Da Redação / Arte: André Jesus

Como não poderia deixar de ser, os políticos vão para as redes sociais visando atrair eleitores e votos com suas propostas, quando têm, numa busca frenética por mais adesões. Os dedos nos teclados do computador e o pensamento voltado para as teclas da urna eletrônica estão a todo vapor.

A ação cibernética acaba no dia 15 de novembro nos municípios que não têm eleições em dois turnos, e em 29 de novembro nas cidades onde ela é decidida em duas etapas. É entendível usar os meios disponíveis na caçada de votos. E entre eles, a internet aparece como a melhor, mais fácil e mais veloz, para o acesso rápido do candidato ao eleitor.

Porém, a preocupação da virtualidade levada para dentro da democracia é a forma como os candidatos usam as redes sociais. A transformam em arma de guerra nos ataques contínuos a adversários que bombardeiam com todo o tipo de acusações e usam, na maioria das vezes, mentiras como munição. Candidatos que só ofendem e desaforam seus opositores não servem para nada, e quem vota neles tem igual serventia.

A outra preocupação são candidatos se valendo do poder financeiro dos cargos eletivos, que já ocupam e tentam a reeleição, que usam a máquina pública em seu favor para mostrar suas façanhas nas redes sociais. Nisso, usam dinheiro do contribuinte para mostrar ao próprio as obras feitas às custas dele, que é pagador de impostos. A pergunta: o burro é o cara que mostra as façanhas ou cara que pagou as façanhas?

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*