Paraguai registra fuga em massa de prisioneiros com ligação com o PCC

De acordo com autoridades locais, agentes penitenciários teriam ganhado US$ 80 mil do crime organizado para supostamente ajudar na fuga

Por Gabriel Dias / Foto: Divulgação

Pouco mais de 70 criminosos fugiram do presidio em Pedro Juan Caballero, no Paraguai, na madrugada deste domingo (19). Cerca de 40 deles são brasileiros e o restante do próprio País e tem ligação com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

No Paraguai, o PCC tem forte influência no tráfico de drogas. Depois da fuga, a Polícia local encontrou um túnel que liga o pavilhão dos presos brasileiros à área de fora do prédio. Autoridades paraguaias acreditam que funcionários do complexo possam ter ligação com a fuga dos criminosos, já que nada de estranho foi notado em relação a abertura de um túnel no pavilhão.

A ministra da Justiça paraguaia, Cecilia Pérez, exigiu que o diretor da penitenciaria de Juan Caballero, fosse desligado de seu cargo imediatamente, além de outros funcionários. De acordo com rumores que chegaram até o conhecimento da ministra, a facção criminosa pode ter comprado os agentes de segurança por cerca de US$ 80 mil.

O ministro do interior do País, Euclides Acevedo, informa em caráter emergencial, que o Paraguai está sob alerta máximo de perigo, pois os criminosos são de alta periculosidade. As autoridades acreditam que parte do bando tenham retornado para o Brasil.

Em nota, o ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, Sérgio Moro, ressaltou que as forças de segurança brasileiras, estão em alerta para impedir a entrada dos criminosos no País, e que caso sejam capturados, serão enviados para presídios federais.

“Se entrarem no Brasil, vão ganhar passagem só de ida para os presídios federais”, afirmou Sérgio Moro em redes sociais.

Moro também alertou a Polícia Federal nos Estados do Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A relação dos foragidos também já foi solicitada pela Polícia.

No Mato Grosso do Sul, aproximadamente 200 policiais foram enviados à fronteira. Ainda de acordo com o governo, ao menos seis dos 75 foragidos tem ligação com o traficante Sérgio de Arruda Quintiliano Neto, conhecido como Minotauro, o que seria um dos chefes do narcotráfico na fronteira.

Minotauro foi preso em fevereiro de 2019 em Balneário Camboriú, num apartamento de luxo. Ele é investigado num suposto assassinato de um policial Civil e uma advogada.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*