Pedido de extinção do mandato do vereador de Itaquá Carlinhos da Minercal é arquivado

Parlamentar foi condenado por crime contra a administração em processo de 2009 referente ao município de Biritiba Mirim

Da Redação / Foto: Câmara de Itaquaquecetuba – Divulgação

O vereador Roberto Carlos do Nascimento Tito (PSDB), o Carlinhos da Minercal, escapou de ter o mandato extinto durante a sessão realizada hoje (13/08) na Câmara Municipal de Itaquaquecetuba. Por 15 votos a dois, a maioria dos vereadores decidiu por manter o parlamentar no cargo.

Carlinhos foi condenado pela Justiça em um processo de crime contra a administração, em um inquérito iniciado em 2009 na cidade de Mogi das Cruzes, mas relacionado ao município de Biritiba Mirim, onde foram descobertas licitações fraudulentas.

O pedido de extinção do cargo, protocolado pelo vereador David Ribeiro da Silva (PPS), o David Neto, ocorreu em abril deste ano. Ontem, durante a votação, alguns parlamentares justificaram seus posicionamentos sobre o assunto.

“Esse processo, que já vem encaminhado pela Justiça, não é referente à cidade de Itaquaquecetuba. Vou votar pela não cassação”, explicou o vereador Armando Tavares Neto (Patriota), o Armando Neto. “Meu voto também é não, porque ele responde uma ação judicial. Não sou eu aqui que vou extinguir o mandato do vereador”, também justificou Adriana Aparecida Felix (PSDB), a Adriana do Hospital.

O vereador Roberto Letrista de Oliveira (PSDB) pediu para usar a palavra: “Voto não. Acho que a vida e a moral de uma pessoa está aqui em jogo. E depois de manchar a imagem de alguém é difícil limpar. Deixa a Justiça julgar”, ponderou o parlamentar.

Para que o mandato fosse extinto era necessário dois terços, ou seja, 10 votos, uma vez que, neste caso, tanto Carlinhos da Minercal quanto David Neto ficaram impedidos de votar de acordo com o Regimento Interno. Apenas os vereadores João Batista Pereira de Souza (PSDB), o Pelé da Sucata, e Carlos Alberto Santiago Gomes (PSD) votaram pela extinção do mandato.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.