Prefeitura e Câmara buscam saída para o impasse sobre os salários dos servidores

Justiça complica trabalhadores

Por Lailson Nascimento / Foto: Bruno Arib

A Prefeitura de Salesópolis busca, junto à Câmara Municipal, uma alternativa para resolver o impasse que envolve os salários dos servidores municipais.

Assim como vem ocorrendo em diversos municípios do Estado de São Paulo, a administração municipal é acusada de pagar vantagens indevidas para os funcionários públicos, com os gastos chegando a R$ 2 milhões por ano.

De acordo com a decisão judicial a qual a GAZETA teve acesso, a Justiça declarou inconstitucional a Lei Complementar n. 01, de 30 de junho de 1992. Na prática, o Poder Judiciário entende que o município não pode seguir pagando “vantagem pecuniária a todos os servidores que concluam curso de 2° grau, seja profissionalizante ou não, bem como àqueles que concluam curso de nível superior, o adicional de 10% ou 20%, respectivamente, sobre o salário base.”

A gestão de Vanderlon Gomes (PL), que chegou a recorrer de decisão anterior para manter o pagamento do adicional de qualificação, não teve mais alternativas a não ser acatar a decisão. Agora, Executivo e Legislativo trabalham para encontrar solução para o caso.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Nenhum comentário sobre: “Prefeitura e Câmara buscam saída para o impasse sobre os salários dos servidores

  1. Sou a Talita Da Silva, gostei muito do seu artigo tem muito
    conteúdo de valor parabéns nota 10 gostei muito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*