Presidente do partido de Bolsonaro é condenado por crime ambiental em Biritiba

Segundo jornal, Valdemar Costa Neto deverá pagar cerca de R$ 100 mil por atividade de mineração às margens do Rio Tietê; ele já foi preso por corrupção

Da Redação / Foto: Reprodução

Nesta quarta-feira (3), o jornal O Globo divulgou que o presidente nacional do PL, partido ao qual o presidente Jair Bolsonaro é filiado, Valdemar Costa Neto, foi condenado pelo TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) a pagar indenização ao estado por crimes ambientais cometidos em Biritiba Mirim.

O processo ocorreu por conta da atividade de mineração em uma área, pertencente ao dirigente partidário, com a extensão de cerca de 28 campos de futebol às margens do Rio Tietê. Segundo ambientalistas, a atividade, que ocorre há mais de uma década, tem prejudicado produtores rurais da cidade e contribuído ainda mais para a poluição do rio.

Além de pagar a indenização, que gira em torno de R$ 100 mil, na condenação foi determinada a paralisação imediata das atividades de mineração e que Valdemar é obrigado a recuperar o meio ambiente degradado. Até o momento, ele não se manifestou sobre o caso.

Essa sentença corresponde à segunda instância do processo e foi proferida em setembro de 2021, mas só agora, quase um ano depois, que o jornal obteve o acesso.

Essa não é a primeira vez que o nome de Valdemar Costa Neto é citado em altos judiciais. Em 2012 ele foi condenado e preso por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo do Mensalão.

O ex-deputado federal também foi citado, mas nesse caso não houve condenação, na Operação Lava-Jato.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*