Sabotagem contra a pandemia: contra o povo

Da Redação / Arte: André Jesus

Em seu relatório sobre o Brasil, a ONG internacional HRW (Human Rights Watch) materializa as suspeitas de pessoas que acompanham sem ira, ódio ou partidarização, a conduta do presidente Jair Bolsonaro diante da pandemia que massacra o país, já registrando para mais de 200 mil óbitos.

A quantidade de mortes impactou milhares de famílias brasileiras, enlutou e entristeceu todo o país, só não Bolsonaro que, omisso ao gigantismo e gravidade da situação deu, e continua dando, de ombros ao que ele, que não é médico, inicialmente “diagnosticava” como uma gripezinha.

O negacionismo à doença, a forma desdenhosa como continua se referindo ao mal que flagela o Brasil, resultou num relatório verídico da HTW ao avaliar, considerar e apontar o comportamento do presidente como um ato de sabotagem aos trabalhos e tentativas de cura da Covid-19.

Diz a ONG: “Nosso relatório mostra que a resposta do governo do presidente Bolsonaro à pandemia tem sido desastrosa, o presidente Bolsonaro, desde o começo, minimizou a gravidade da doença, publicou informação equivocada, tentou sabotar os esforços dos estados para tomar medidas contra a Covid-19 e, nesse momento, parece estar fazendo campanha contra a vacina”.

E é o que tem sido feito. Tanto é verdade que, diante do vultoso morticínio, milhares de casos confirmados da doença, com muitos deles ainda podendo vir a motivar a abertura de mais covas, o Brasil corre o risco de ser o último pais da América do Sul, quiçá do mundo, a ter sua população vacinada.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*