Santa Isabel e o desenvolvimento sustentável: uma breve reflexão em seus 189 anos

Por Cleuton Lima Miranda / Arte: Giovanna Figueiredo

Minhas primeiras lembranças de Santa Isabel são da infância. Não tínhamos um Pronto Atendimento em Arujá então as consultas eram realizadas na Santa Casa de Santa Isabel. Desde pequeno andava pelas ruas do centro e me sentia em casa ao olhar as casas, as ruas, o sotaque das pessoas, as florestas ao derredor.  

Recentemente, entre 2020 e 2021, estive por várias vezes em Santa Isabel e tive a mesma sensação de pertencimento. Sem demagogia: se eu pudesse moraria nessa cidade com centro pequeno, bonito, com “carinha de interior”, riquezas naturais e culturais muitas. Salvo engano mais de 80% do município se encontra em áreas de proteção ambiental. Parque Estadual do Itaberaba. Mananciais. Reservas de água doce. Cachoeiras. Potencial para turismo ecológico. É dádiva e não empecilho para desenvolvimento social e econômico.

A biodiversidade é certamente exuberante (uma das 25 espécies de macacos mais ameaçadas do mundo, o sagui-da serra-escuro (Callithrix aurita), está em Santa Isabel). Infelizmente, conversei por apenas 15 minutos com o atual secretário da pasta de meio ambiente. Ainda aguardo a oportunidade de apresentação de projetos na Secretaria de Meio Ambiente (online mesmo), incluindo recuperação de áreas urbanas degradadas (muito aplicável aos córregos centrais e pontes) e dos diferentes bairros, bem como os projetos socioeconômicos ambientais, tão relevantes para o uso racional dos recursos naturais do município (apicultura, meliponicultura, sistemas agroflorestais, cultivo e manejo de espécies da sociobiodiversidade da Mata Atlântica, dentre outros), de modo a gerar renda a partir da sustentabilidade, a terceira área que mais gerará empregos no mundo até 2030, para a qual Santa Isabel tem toda “vocação”.

A problemática envolvendo o rio Jaguari, que desagua na represa em Santa Isabel e que abastece parcela considerável da população é patente e requer esforços intermunicipais. Para finalizar: o que eu mais posso desejar aos moradores dessa linda cidade em seu aniversário de 189 anos? Saúde e resiliência para enfrentamento dessa crise sanitária, sem precedentes, para num futuro próximo participarem ativamente das tomadas de decisões envolvendo políticas públicas efetivas e bem embasadas tecnicamente para melhoria da qualidade de vida de seus cidadãos.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*