São Paulo acorda debaixo d’água

Segunda-feira em SP é repleta de pontos de alagamentos, deslizamentos de terra e também enchentes; Bombeiros alertam: “evitem sair”

Por Gabriel Dias / Foto: Divulgação

A Capital de São Paulo amanheceu debaixo d’água nesta segunda-feira (10). O Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo) precisou paralisar seu funcionamento ao longo da madrugada devido a água da chuva que subiu rapidamente, impedindo que os funcionários trabalhassem.

Algumas composições da linha 8 – Diamante e 9 – Esmeralda da CPTM (Companhia Metropolitana de Trens de São Paulo) operam parcialmente, já o Metrô funciona normalmente. Ponto das rodovias Pinheiros e Tietê também estão intransitáveis. Ao todo são 56 pontos de alagamentos, sendo 51 deles impossível de se locomover.

O rodizio de placas para caminhões e carros foi suspenso pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo).

De acordo com o Corpo de Bombeiros, foram acionadas 320 chamadas de enchentes e 47 chamados para quedas de árvores, além de 36 pontos de deslizamentos de terra. O Capitão dos Bombeiros, Marcos Palumbo, alerta para que as pessoas fiquem em casa. “Não é o momento para se deslocar pela cidade”, diz. Para quem vai viajar de avião, o aeroporto de Guarulhos opera normalmente.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*