Sem manutenção, ruas do bairro Ouro Fino em Santa Isabel se tornam ‘crateras’

Moradores dizem que cansaram de esperar ‘boa vontade da Prefeitura’

Por Gabriel Dias / Fotos: Bruno Arib

Aproximadamente 10 km distante do Centro de Santa Isabel, o bairro Ouro Fino – localizado na zona rural da cidade – passa por um de seus piores momentos na gestão da prefeita Fábia Porto (PRB). Com ruas intransitáveis para veículos movidos à quatro rodas, só passa de um lado para outro os motociclistas ou quem está a pé. Carros, ônibus ou qualquer outro veículo correm o risco de ficar no meio do caminho.

Com a mobilidade reduzida, muitas pessoas reclamam que precisam parar no meio do caminho. Benjamim Antônio de Santana, 58, mora há 33 anos no bairro e diz que nunca viu uma situação como essa.

“No período que estou aqui com minha família, a sensação de abandono é maior agora. Raramente as equipes da prefeitura passam por aqui para fazer alguma coisa pelos moradores, e quando passam, fazem o serviço como se estivessem tapando o sol com a peneira”, critica.

Ao lado de sua esposa, Lourdes Santana, Benjamim busca melhorias para toda a comunidade, no entanto, esbarra nas burocracias políticas. Para superar a colisão com certas ‘politicagens’ da cidade, o casal decidiu, com ajuda de amigos e advogados, criar o Instituto de Desenvolvimento Santa Isabel e Região.

“Foi a saída que encontramos para vencer essas barreiras. Viver em locais como esse é passar por muitos desafios relacionados à falta de infraestrutura. Então, a criação do instituto visa dar mais condição de vida para quem vive aqui no bairro”, diz Lourdes.

As Ruas Takeo Muramatsu, Norio Kusuoka, São Domingos, São Joaquim e Massatomo Okura são as mais prejudicadas pela falta de zeladoria, segundo explicam os moradores. Nos trechos entre as vias, as ruas reúnem imensas crateras onde cabem crianças dentro.

“Carros não passam nesses locais. Não tem como. O que a prefeitura deveria fazer é vir com uma máquina e deixar o acesso bom para os motoristas. Pagamos impostos para quê?”, questiona Benjamim.

O QUE DIZ A PREFEITURA – A Prefeitura de Santa Isabel foi questionada. Em nota, a gestão de Fábia Porto diz que “a Secretaria de Serviços Municipais afirma que o local citado pelo jornal recebe manutenções periódicas. Mesmo assim, as condições das vias se devem às fortes chuvas do início desse ano. Após a estabilização do tempo, a questão do COVID-19 afeta também a prestação desse serviço, já que 25% dos funcionários responsáveis por essas manutenções têm mais de 60 anos. Desta forma, os trabalhos no local já constam no cronograma de serviços da prefeitura”, encerra a nota.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*