Taboão pede por infraestrutura

Associação Gestora do Distrito Industrial promoveu reuniões com os dois principais candidatos a prefeito de: Marcus Melo (PSDB) e Luis Carlos Gondim (SD). Foto: Divulgação

 

O distrito industrial do Taboão, em Mogi das Cruzes, é uma das regiões mais promissoras do Alto Tietê na geração de impostos, emprego e renda. Com uma área de 15 milhões de metros quadrados à disposição e um zoneamento classificado como ZUP 1 – onde pode ser instalada indústrias de todos os segmentos, a área sofre com a faltade infraestrutura básica, como manutenção das vias e a falta de CEP das ruas.

E se os empresários exigem a manutenção do local para que possam escoar seus produtos e receber matéria-prima, os moradores da região cobram por reforço na segurança, no serviço transporte público, e a construção de creches, escolas e postos de saúde.

E para buscar uma solução para estes problemas, a Associação Gestora do Distrito Industrial do Taboão (Agestab) promoveu reuniões com os dois principais candidatos a prefeito de Mogi das Cruzes: Marcus Melo (PSDB) e Luis Carlos Gondim (SD). Os encontros foram realizados na Associação Cultural Agrícola do Itapeti.

O primeiro foi o candidato apoiado pelo atual governo, Marcus Melo. O tucano disse que pretende manter o diálogo com o Taboão fim de estabelecer as prioridades da região. Ele elogiou a Agestab e destacou que apenas com categorias organizadas é possível alcançar as melhorias. “Temos que fazer com que o Taboão passe a ter uma manutenção diária tanto na questão viária, quanto de sinalização de trânsito”, disse o candidato. Ele destacou que a região será beneficiada pelo projeto da patrulha rural da GCM e, ainda, que as linhas de ônibus serão ajustadas, por meio de pesquisas de origem e destino.

“Não adianta vir aqui e falar que vou fazer tudo. Isso seria irresponsabilidade e uma postura de candidato que faz politicagem, que não é o meu caso. Posso garantir que irei me empenhar pessoalmente para concretizar as obras prioritárias, mas a Prefeitura não conseguirá fazer isso sozinha e precisará do apoio dos governos Estadual e Federal”, disse Melo.

Já Luis Carlos Gondim (Solidariedade) garantiu que vai se empenhar para concretizar o acesso da rodovia Ayrton Senna. Ele contou que a construção do acesso na Ayrton Senna para o Taboão é “perfeitamente possível” e somente não é concretizada devido à “má vontade da concessionária que administra a via” e pela falta de apoio da Prefeitura e do governo estadual.

Gondim destacou, ainda, que apoiou a Frente Parlamentar para o desenvolvimento do Taboão criada na Assembleia Legislativa. “O Taboão precisa de investimento em infraestrutura básica. Precisa de ruas asfaltadas e de CEP. Atender estas demandas é possível, basta priorizar o destino dos recursos municipais”, afirmou. “Essa história de que ‘o cobertor é curto’ já não pode ser utilizada quando falamos do Taboão, porque aqui será, em poucos anos, o maior gerador de impostos e postos de trabalho do Estado. É obrigação do Poder Público investir no distrito industrial”, destacou Gondim.

O presidente da Agestab, Osvaldo Baradel, agradeceu a presença dos candidatos e criticou a falta de atenção do Poder Público. “Tudo o que aconteceu aqui no distrito, como a melhoria no serviço de distribuição da rede elétrica, por parte da EDP Bandeirante, a chegada da fibra óptica e, em parte do Taboão, dos serviços dos Correios, ocorreu pela força e a iniciativa dos próprios empresários”, lembrou. “O Taboão está parado e muitos empresários estão desistindo de se instalar no distrito, porque falta infraestrutura básica”, alertou Baradel.

O diretor do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) – Alto Tietê, José Francisco Caseiro, esteve presente nos encontros e ressaltou que o próximo prefeito precisa investir no Taboão como uma espécie de poupança. “Esse lugar será um dos maiores geradores de impostos e postos de trabalho de São Paulo, mas precisa receber a devida atenção”, ressaltou.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*