Turismo: Pandemia provoca mudanças no setor

Influencer digital de viagens, Felipe Cristan, conta como tem se reinventado nesse período

Por Giovanna Figueiredo / Foto: Arquivo Pessoal

A pandemia do novo coronavírus mudou a rotina de todos, a maneira de se relacionar, de estudar, de trabalhar e até de se cuidar. Com todas essas mudanças, um dos setores que vem sofrendo muito é o do Turismo. Para falar sobre esse assunto, a GAZETA bateu um papo com Felipe Cristan.

Cristian tem 25 anos, é empresário e influencer digital. Em seu Instagram ele conta sobre suas viagens e os lugares que conhece, e nesses tempos de pandemia tem se reinventado para trazer conteúdo aos seguidores.

“Minha última viagem foi para Goiânia no dia 13 de março. De lá para cá, só em casa, tinha já uma agenda de compromissos firmada com alguns parceiros que foram canceladas por enquanto, sem previsão de retorno. No começo de março comecei a perceber que as coisas estavam complicando e que o mercado do turismo seria um dos últimos a voltar”, explicou.

Ele conta que tem sido um momento de cooperação com seus seguidores.

“Acredito que a amizade que pegamos ao longo desse tempo juntos, se tornou ainda mais especial agora. Eles me acompanham mesmo não falando de viagens nos stories, por exemplo. E estão amando ver um pouco como é a vida ‘normal’ do Felipe, em casa, mostrando meus cantinhos.”

O momento ainda é de muitas incertezas, mas Felipe prefere olhar com otimismo para a situação.

“Infelizmente, acho que para voltar ao que era vai demorar um pouco. Pois, os países vão ainda restringir bastante coisa, além dos preços de moedas estrangeiras. Com certeza os profissionais que dependiam do turismo estão sendo um dos mais afetados. Há um total de 0 procura neste momento. Precisam sobreviver de reservas financeiras e sem previsão de normalizar. Pequenas empresas do segmento já estão declarando falência, infelizmente. Por isso, neste momento, o que estamos sempre instruindo aos que já tinham comprado pacotes e feito reservas (e possam fazer isso) para que ‘remarquem’ e não ‘cancelem’. Mas prefiro olhar com otimismo e pensar que tem muitas pessoas vão querer voltar à vida, às suas rotinas e ficar em casa vai ser a última coisa que vão querer quando tudo isso acabar”, comenta.

Como tudo começou

O poaense conta que sempre teve vontade de entrar em um avião, mas que isso não era comum em sua família. Viagens também sempre fizeram parte dos interesses de Cristan, e ele tinha o hábito de fazer listas dos lugares que gostaria de conhecer.

“Aos 18 anos entrei para trabalhar em uma multinacional e foi lá que vooei pela primeira vez. Fui a trabalho para Porto Alegre. Antes da viagem, fiquei mega apreensivo, todos os dias ligava para amigos que já tinham voado para saber o que fazer. Foi especial. Dali para a frente queria sempre ter essa sensação. Já no ano seguinte, eu fiz uma viagem para o Chile, para conhecer a capital Santiago e do Deserto do Atacama, daí começou, não queria mais parar.”

Ele conta que gostava de fotos, todas as viagens que fazia fotografava e sempre recebia elogios pelas imagens, um dia decidiu fazer um teste e montar um Instagram para publicar seus registros, teve boa aceitação.

“Comecei além de postar fotos ‘bonitinhas’ a tentar ajudar as pessoas a realizarem esse sonho de viajar, através de dicas de como fazer para conhecer os lugares mais ‘sonhados’ do mundo. A cada pessoa que me manda mensagem falando que está em um país e seguindo minhas dicas, parece que estou viajando junto com ela. É emocionante”, contou.

Várias portas se abriram e Cristan começou a ser chamado por empresas para divulgar seus produtos e serviços. Publicitário de formação, conseguia vincular as viagens às propagandas, seu trabalho foi crescendo. Antes da pandemia, toda semana ele estava em viagens.

O influencer não vê a hora de voltar à sua rotina e viajar o mundo, mas sabe que o momento é de se cuidar e deixa uma mensagem para seus seguidores.

“Precisamos ficar em casa para tudo isso passar logo. A vontade de sair é enorme, eu sei bem disso, mas precisamos ajudar uns aos outros neste momento. Acreditem que tudo vai passar! ”

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*