Uma cidade sob estado de caos permanente

Da Redação / Foto: Divulgação

A reportagem passou as oito horas ensolaradas e extremamente quentes de quarta-feira, 28, em Paraibuna. A equipe entrevistou dezenas de moradores, percorreu toda a área central da cidade, três bairros periféricos e ao final do trabalho jornalístico veio a certeza: o município precisa encontrar o progresso, deixar para trás 12 anos de completo atraso e com eles as pessoas que a fizeram parar no tempo.

Paraibuna vive um blecaute governamental e o atual grupo político, detentor do poder, é responsabilizado pelos paraibunenses de ter decretado estado de caos administrativo que “vigora” desde que o ex-prefeito Antônio Marcos de Barros saiu do cargo e passou a desmobilização da administração a seu sucessor, Victor de Cassio Miranda, o Vitão.

As ações não realizadas pelo antecessor continuaram a não ser feitas pelo sucessor. O atual prefeito, com sua falta de pulso administrativo, além de levar adiante o processo de paralização de Paraibuna, conseguiu aumentar a precariedade dos serviços de saúde, infraestrutura urbana (pavimentação asfáltica, saneamento básico, iluminação), transporte público, falta de empregos, lazer e outros trabalhos essenciais para fortalecer a cidade e atender a população com dignidade.

Açoitado pela incapacidade governista, o povo sofre. No entanto, calado, grita em silêncio pela chegada de novos administradores que olhem e deem atenção a ele e ao município. As eleições podem mudar o panorama dramático e os eleitores também devem olhá-las com muita atenção.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*