Uma “força” capaz de destruir esperanças

Da Redação / Foto: Divulgação

Gracinha segue o exemplo do prefeito cassado Márcio Tenório. Vai no mesmo caminho errôneo que deixou o emedebista em lugar nenhum, e no limbo político não existe ninguém. Todos os esquecidos que estão lá jazem politicamente mortos.

Assinando o próprio óbito político, a atual prefeita de Ilhabela busca nas catacumbas do seu antecessor projetos assinados por Tenório, dando motivos para, também, ser banida do cargo.

O motivo da revolta geral da população e de vereadores é a insana contratação de uma empresa para fazer a contagem de postes de energia elétrica ao valor de R$ 300 mil. Parlamentares sérios e lúcidos repudiam veemente a proposta irreal.

A oposição sarcástica debocha: “Se o serviço está nesse preço, imagina quando a conta de luz chegar em casa”.

Alfinetadas à parte, não cabe mais espaço para fazer gracinha e peripécias com o dinheiro suado que o contribuinte ganha com muito trabalho. Ninguém merece pagar tão alto o preço da insensatez de ações que só oneram as contas públicas, sem levar o benefício aos necessitados de ideias práticas, rápidas e inteligentes.

O que esperar de pessoas insistentes nos erros já praticados, e que distribuem essa carga negativa aos que acreditaram, ou ao menos tiveram esperanças, de que tudo iria começar a mudar.

Por causa do desânimo, até já começou a nascer saudades de Márcio Tenório. Um clima do tipo: Ruim com ele, pior sem ele. Esse sentimento de derrota é a própria destruição da esperança.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.