Vereadores de Poá vão à Justiça para impedir transferência de pronto atendimento infantil

Prédio construído na Vila Açoreana para receber o “Saúde da Criança” foi desativado pela prefeitura; parlamentares coletam assinaturas de munícipes na luta pelo não fechamento do espaço

Da Redação / Foto: Divulgação 

Os vereadores do Avante de Poá, Dr. Saul Souza e Jilmara Kirino Protetora, recorrerão à Justiça, por meio de uma ação popular, para cobrar a reabertura do prédio onde até o último domingo funcionava o “Saúde da Criança de Poá 24 horas”.

O serviço foi transferido de maneira improvisada pela prefeitura para um espaço dentro do Centro Municipal de Especialidades, localizado em uma área anexa ao Hospital Municipal Guido Guida, no Jardim Medina.  Os parlamentares, ao lado de outras lideranças do partido, iniciaram a coleta de assinatura de munícipes contrários à transferência do atendimento.

A notícia sobre o fechamento do prédio próprio localizado na Rua Jair de Godoy, 270, na Vila Açoreana, chegou ao conhecimento dos vereadores na última sexta-feira. Na ocasião, a Prefeitura de Poá justificou a medida  alegando falta de documentação e problemas estruturais no espaço, que foi inaugurado pela antiga gestão em agosto do ano passado e que recebeu investimento de quase R$ 2 milhões.

No mesmo dia, Dr. Saul Souza e o ex-vereador Saulo Souza, também filiado ao Avante, visitaram as instalações do Saúde da Criança e não constataram quaisquer problemas aparentes na estrutura, como infiltração, rachadura, umidade ou instalações elétrica indevidas.

“Se trata de uma medida muito polêmica. Não foi ouvida a sociedade. É preciso discutir antes de tomar uma decisão como essa, que vai gerar um prejuízo incalculável para a população e para a própria administração, que agora terá que adaptar o atual Centro de Especialidades para receber as crianças”, pontuou o parlamentar, que também quer saber da atual administração como ficará o atendimento das especialidades médicas com essa mudança.

Covid-19

Para o ex-vereador Saulo Souza, a cidade está retrocedendo ao misturar novamente o atendimento de adultos e crianças.

“No prédio do Saúde da Criança existe uma sala de urgência e emergência devidamente equipada para receber a criança que chega na viatura do SAMU. No novo local, elas vão ser recebidas no mesma sala que os adultos, inclusive pacientes infectados pelo novo coronavírus”, destacou.

Ele também afirmou que os menores não terão à disposição o aparelho de ultrassonografia, já que o espaço improvisado não conta com o item. Os pacientes terão ainda que utilizar o raio-x existente no hospital municipal.

“Esse é outro fator de risco muito grave em função da pandemia. O prédio do Centro de Especialidades não está adaptado para receber um serviço de pronto atendimento infantil. Não podemos retroceder depois de conquistar um avanço que foi separar o atendimento de crianças e adultos”.


Ação popular

Até o momento, milhares de pessoas assinaram o abaixo-assinado contra o fechamento do espaço na Vila Açoreana. As assinaturas, juntamente com o relatório fotográfico que comprova o bom estado do prédio, serão anexadas à petição que o Avante apresentará nos próximos dias à Justiça.

Segundo Dr. Saul, como a prefeitura não reconsiderou a transferência e já desativou o prédio, os vereadores do Avante  entrarão uma ação popular para “pedir auxílio da Justiça, já que a população não pode sair perdendo mais uma vez”.

Comissão de Saúde

A Comissão de Saúde da Câmara, que tem a vereadora Jilmara Kirino como membro, convocará a secretária de Saúde Cláudia de Jesus para que ela preste esclarecimentos na Câmara nos próximos dias sobre as mudanças feitas no atendimento infantil de Poá.

“Eu e o Dr. Saul somos contra o fechamento do prédio. Não foi apresentado laudo sobre as irregularidades mencionadas, não foi feita qualquer reunião prévia com a Comissão de Saúde para discutir essa mudança. A atual gestão que apresente um parecer da Defesa Civil, que acione a empresa responsável pela construção, o que a população não pode é ficar com esse prejuízo”, destacou a vereadora.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

2 comentários sobre: “Vereadores de Poá vão à Justiça para impedir transferência de pronto atendimento infantil

  1. GOSTARIA DEDEIXAR MINHA INDIGNACAO COM ESTA MEDIDA DE TRANSFERIR PRO CRIANCA PARA O CEME.SE HA IRREGULARIEDADES SEGUNDO A VIGILANCIA SANITÁRIA PQ FUNCIONA ALGUNS POSTOS DE SAUDE REPARTICOES DA PREFEITURA QUE SÃO IRREGULARES.Se o prédio está irregular pq vai funcionar a fisioterapia no local .Temos a.praca dos eventos.lugar ideal para fisioterapia espaço.nao falta.Acredito que a população está sendo prejudica com mudanças por abuso de poder.Quero dizer tb da portaria da Educação criando polos e transferindo funcionários para enxugar folha de pagamento sobre carregando

  2. Olá boa noite, é inacreditável o que está acontecendo com a saúde da cidade! Não foi feito nem uma consulta popular…

    Isso é uma grande irresponsabilidade com cada cidadão e o dinheiro público, não tem sentido o que tá acontecendo…
    Não se fecha uma unidade de saúde com as condições total de uso, é um absurdo..

    A secretária de saúde tem que se explicar porque não tem nequix.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*