Volta às aulas: Promotores do MP não recomendam o retorno das atividades presenciais em Mogi

Retomada pode ter repercussão na saúde pública

Da Redação / Foto: Divulgação

Na quinta-feira (8), os promotores de Justiça Fernando Pascoal Lupo e Reinaldo Iori Neto expediram recomendação ao prefeito de Mogi das Cruzes para que se “revogue, suspenda ou deixe de tomar qualquer medida tendente a autorizar, no curso do corrente ano, a retomada das atividades educacionais em escolas públicas ou particulares, em quaisquer níveis de ensino”, localizadas no município.

De acordo com Lupo e Neto, com atribuições na área da saúde e da infância, respectivamente, flexibilizar as restrições sanitárias antes de efetivamente implantadas as medidas de reestruturação das unidades escolares poderá ser motivo de “maciça contaminação da comunidade escolar, com evidente repercussão para a saúde pública e para a proteção integral de crianças e adolescentes estudantes”.

Gazeta Regional

Fundada por Laerton Santos no início dos anos 2000, a GAZETA tem como principal missão integrar as dez cidades que compõem a região do Alto Tietê, tendo como diferencial o olhar crítico que define a linha editorial do veículo. Em busca de contato cada vez mais próximo com seu público, o jornal tem investido na cobertura diária, utilizando as mídias digitais para esse fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*